Inflação do estilo de vida

Imagino que todos entendem o conceito de inflação. Segundo a Wikipedia a inflação é a queda do poder de compra do dinheiro no tempo.  Ou seja, com o tempo é preciso mais dinheiro para adquirir a mesma coisa. Os mais velhos lembram da época em que a moeda brasileira se desvalorizava tão rapidamente que era difícil até acompanhar os nomes que mudavam de tempos em tempos.

Eu gostaria de chamar atenção para um fenômeno parecido com a inflação. Quanto mais a renda de uma pessoa aumenta, mais aumenta o seu padrão de consumo. Em outras palavras, aquele aumento de salário nos leva a consumir mais ao invés de investir mais.

Há 15 anos, quando comecei a carreira em auditoria e ainda era estudante universitária eu ganhava menos de 10% do que ganho hoje.  O mais engraçado é que hoje me preocupo muito mais com o destino da minha renda do que naquela época. Até pouco tempo atrás todo aumento de renda me levava invariavelmente a adquirir uma coisa nova.

Hoje, toda renda inesperada tem mais ou menos a seguinte distribuição: uma parte é usada para consumo, normalmente 1/3 e o restante vai para os investimentos. Também procuramos manter nossas custos fixos (TV a cabo, Telefone, etc.) dentro do razoável.

Para se proteger da inflação do estilo de vida concentre-se no seguinte:

  • Economize em primeiro lugar. Automatize seus investimentos. Se o dinheiro não fica dando sopa na sua conta bancária é menos provável que você destine o recurso para o consumo. Afinal, precisará pensar sobre o resgate do recurso.
  • Use o crédito apenas como último recurso. Se não consegue se controlar, deixe o cartão de crédito em casa. Só contrate crédito para aquisições relevantes como a casa própria por exemplo.
  • Viva dentro do limite da sua renda. Melhor ainda, viva abaixo do limite da sua renda. Se na sua casa todos trabalham, tente limitar os custos fixos à renda de apenas um dos membros da família.
  • Mantenha os custos com habitação em rédea curta. Onde você mora tem muita influência sobre o seu padrão de consumo. A melhor localização provavelmente é a mais cara, fique atento.  
  • Seja realista sobre carros. Lembre-se que os custos indiretos (seguro, imposto, manutenção) são sempre proporcionais ao custo do carro e são fixos. Procure os modelos com melhor relação custo versus benefícios.

Outra dica interessante que recebi, foi destinar o aumento de renda para um investimento de forma automática. Assim, a renda disponível na sua conta permanece a mesma e em teoria nem dá tempo de elevar o padrão de consumo.  Na lógica para eficiente, se você já vivia com uma renda de 100, os 5 adicionais não deveriam lhe fazer falta. Assim, no seu próximo aumento experimente usar os recursos adicionais para começar os seu fundo de emergência, se ainda não o fez.

Deixe uma resposta

Fechar Menu