Simplificar a vida em 2021: 6 formas de começar hoje

Simplificar a vida em 2021: 6 formas de começar hoje

Durante os últimos anos eu venho explorando a ideia do minimalismo. “Como simplificar a vida e reduzir o ritmo”. Me parece que andei no caminho oposto recentemente. Em 2020, eu consolidei duas casas em uma em função da pandemia e ficou muito claro o excesso de coisas que se acumula rapidamente. Pesado, super pesado. Então me parece que esse momento de introspecção que o coronavírus criou é uma boa hora para simplificar a minha vida.

Chega de correr atrás das coisas.

Quero ter mais tempo e mais espaço. Menos “coisas” ao meu redor e na minha lista de afazeres.

Então pouco a pouco vou tentar simplificar as coisas e diminuir o ritmo.

Aqui vão 6 áreas a considerar nesse processo:

Tralha

Durante os últimos 5 anos, tive duas casas. Morava em São Paulo durante a semana e retornava para Porto Alegre aos finais de semana. Com o trabalho remoto, entreguei o apartamento alugado que mantinha em São Paulo no final de maio de 2019. Impressionante o quanto 1 pessoa consegue acumular em um curto período de tempo.

Doei muita coisa no processo de entrega do apartamento de São Paulo. Como ainda é incerto o que faremos quando a pandemia passar, deixei algumas caixas de coisas na casa de uma amiga para o caso de voltar a rotina de trabalho presencial em São Paulo. Aqui na empresa temos uma previsão de continuar em home office até junho de 2021.

Também aproveitamos uma reforma recente aqui em Porto Alegre para organizar todas aquelas caixas de coisas que estavam paradas a anos. Resultado: 8 caixas de livros, 2 de cds e 1 de dvds foram entregues no ecoposto do DMLU. E o processo continua…

Como você pode começar?

Se você pretende simplificar a sua vida, “destralhar” dos itens físicos é uma ótima forma de começar.

Recomendo começar em uma escala pequena. Talvez pela gaveta de utensílios da cozinha ou pelos livros acumulados. Eu tenho focado em uma área da casa de cada vez. Sabe aquela caixa de cabos de todos os produtos eletrônicos que já tivemos na vida e por algum motivo só ficaram cabos que não servem para nada. Pode ser uma boa opção.

Há também alguns desafios pela internet, Como o jogo Mins (The Minimalists), no dia 1, você escolhe 1 coisa para doar ou se desfazer, dia 2 , duas coisas, e assim por diante, até o dia 30 quando você vai descartar 30 coisas em um só dia.

Finanças

Ainda não cheguei aonde eu gostaria nessa áreas mas tem algumas coisas que eu adotei ao longo do tempo que fizeram uma diferença enorme para mim. O primeiro foi começar a monitorar nossas finanças e o segundo foi criar objetivos de longo prazo.

Para 2021, estou explorando o conceito de atenção plena em finanças. Tentar ser mais intencional em meus gastos e meus investimentos.

Como você pode começar?

Mantenha um registro da sua renda e dos seus gastos. Desenvolva um orçamento se ainda não tem um. Leva apenas 5 minutos por dia monitorar suas finanças, como o tempo você identificará padrões de comportamento e áreas onde você pode redistribuir seus recursos.

O mais importante, você vai prestar atenção. Deixar de viver gastando sem consciência ou plano. O seu dinheiro vai fazer mais por você.

Minhas roupas

Eu sou uma viciada em consumo em recuperação. É claro que eu poderia viver com menos, com muito menos provavelmente. Meu marido tem uma piada interna de que se eu vender as bolsas posso trocar o carro. Mas ficar em casa esse tempo todo escancarou o quanto inútil é o meu guarda roupa transbordando.

Nesses tempos de trabalho remoto, usei os mesmos 20 itens quase o tempo todo. Desde que o calor chegou, vestidos leves tem sido o novo normal. Sapatos de salto não me viram desde março.

Já tinha feito uma primeira onda de desapego quando trouxe o guarda roupa que tinha em São Paulo. Mas aproveitei esses dias de folga agora entre Natal e Ano Novo para uma limpa mais profunda. Tudo separado entre doar e descartar. Ainda assim, provavelmente tenho roupas em excesso, então para 2021 estou aderindo um desafio sem compras por 3 meses (quem sabe 6 ou 9 ou o ano inteiro).

Como você pode começar?

O desafio sem compras é uma forma. Te obriga a repensar o que tem. Outra ideia simples que me ajudou foi virar os cabides no início do ano, quando você usa um item, inverte o cabide, assim depois de um tempo fica fácil identificar os itens sem uso.

Outro desafio interessante é o Projeto 333 iniciado pela Courtney Carver do “Be More With Less”. O desafio é viver com 33 itens (incluindo acessórios) por 3 meses. Ainda não tentei esse projeto. Preguiça de guardar todo o resto do armário.

Alimentação

Engraçado como a comida, uma coisa essencial a sobrevivência e que envolve uma das minhas atividades favoritas – cozinhar, se tornou um assunto tão complicado na minha vida.

É a categoria individual mais cara do nosso orçamento. E tem um impacto muito importante na nossa saúde geral. Com a pandemia tenho cozinhado muito mais por um lado, mas por outro, abandonei qualquer noção ordenada de dieta. Low Carb, Paleo, etc.. simplesmente não tenho muita paciência.

A saúde e as escolhas alimentares estão no topo das minhas preocupações ultimamente. Começamos o isolamento social bem por aqui, mas a medida que o tempo passou parece que foi mais fácil cair nos excessos do que manter uma dieta saudável. Talvez desenvolver um cardápio simples seja a solução e o foco para 2021.

Comer as mesmas coisas com regularidade. Parece chato mas talvez seja a forma de simplificar e garantir a consistência.

Como você pode começar?

Se a alimentação é um fator de estresse para você recomendo implementar um planejamento das refeições. Encontrei várias fontes de orientação na internet como por exemplo os perfis do Instagram, @maemoderna_nacozinha da Clarissa Brinckmann e @panelinha_ritalobo da Rita Lobo.

Solidariedade e caridade

Há um tempo atrás eu decidi doar 1% da minha renda para causas principalmente relacionadas ao meio ambiente. Totalmente influenciada pela organização 1% for the planet criada por um grupo de empresas nos Estados Unidos que tomei conhecimento quando li a biografia do Yvon Chouinard, fundador da Patagônia.

Tenho algumas doações programadas no débito automático: médicos sem fronteiras, Honnold foundation, revolusolar, entre outras. Durante a pandemia adicionei algumas causas mais urgentes como a campanha de alimentos para pessoas afetada doando cestas básicas através do Instituto Cultural Floresta e apoiando o projeto Anjos de Patas.

A primeira vista, pode parecer um pouco estranho falar em solidariedade quando estou falando de simplificar a vida. Mas trazer essa atitude para a minha vida me ajudou a focar mais no que é essencial. Me ajudou a ser grata pelas coisas que de fato importam: a família está com saúde, ninguém foi afetado de forma significativa pela pandemia em termos de renda.

A solidariedade é uma forma de nos manter com os pés firmes no chão. Ao prestar atenção nas dificuldades das causas que apoiamos nos dá perspectiva. Mesmo quando os dias são corridos e tudo é um pouco demais, fazer essas escolhas me ajuda a estar mais presente no momento.

Como você pode começar?

Tem muitas opções on-line que facilitam o processo. Um site que direciona para várias instituições e projetos é o Benfeitoria.

Também é possível doar destinando pare do seu imposto de renda para quem faz a declaração completa. Aqui em Porto Alegre a prefeitura mantém um site com projetos vinculados ao Funcriança com uma lista de projetos para escolher.

Natureza e exercícios físicos

Antes da pandemia eu caminhava muito. Seja indo e vindo do trabalho todos os dias ou indo caminhar no parque aos finais de semana. Academia nunca deu muito certo comigo. Já paguei vários planos sem aparecer para treinar com muita frequência.

Depois de todos esses meses de isolamento social, uma das coisas que mais me faz falta é caminhar ao ar livre. Mas tenho que admitir que exercício físico de forma geral está fazendo falta. Nem a prática de ioga sobreviveu a esses tempos de home office.

Para 2021, preciso achar uma forma simples de retomar a atividade física e o contato com a natureza. Até estive na praia algumas vezes em 2020 mas depois que a quarentena começou não pisei na água.

Quando eu caminho no parque me sinto em paz. Sempre funcionou para mim como uma forma de meditação ativa. É calmo, tranquilo e me traz paz de espírito.

Como você pode começar?

O que está fora da sua porta? Tem um parque ou praça próximo a sua residência? Se tiver, experimente.

Estou muito empolgada em retomar essa jornada de simplificar a vida e reduzir o ritmo. Tenho certeza que não estou sozinha.

Espero que 2021 traga saúde e liberdade de ir e vir com as vacinas.

Este post tem um comentário

  1. Juliano

    Gostei muito da ideia, venho pensando muito a respeito fazem alguns meses. Já consegui executar uma meta de juntar 30 mil reais num ano para fazer um intercâmbio, e resolvi novamente encarar este desafio. Claro, não para fazer intercâmbio, mas para ter uma segurança financeira maior. Me propus a ficar um ano sem compras (mas sem radicalismos). Se puder, me acompanhe em meu site cachorromagro.wordpress.com que contarei a minha saga por lá.

    Um abraço e obrigado por compartilhar suas experiências.

Deixe uma resposta para Juliano Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.