Revisitando o Passado: Aprendendo a viver modestamente

Neste segundo ano de existência do www.fiquericodiariamente.com.br, resolvi revisitar o segundo artigo publicado pela autora do site, Tatiana. O tópico abordado naquela oportunidade foi: “Aprendendo a viver modestamente”.

Sabendo o quanto é árdua essa tarefa e por isso mesmo no meu modo de ver é um dos pontos mais importantes na busca da tão sonhada independência financeira foi o que me motivou a revisitá-lo.

O tema fora analisado naquele momento de forma a enfrentar a frugalidade do dia a dia em um mundo materialista, no qual desde os primeiros momentos da manhã ao acordarmos somos bombardeados pela tentação de adquirir mais e mais, sem nos atermos as nossas reais necessidades. Pois bem, vimos naquela ocasião que o que pode parecer uma privação na verdade é uma atitude positiva, principalmente se levarmos em conta que a tranqüilidade de uma vida equilibrada premia-nos com uma boa noite de sono.

A ascensão do materialismo

Vimos também que a dificuldade enfrentada para ultrapassar essa barreira consumista está diretamente ligada à ascensão do materialismo, os períodos de grande inflação e de imprevidência social estão longe, o que gera uma zona de conforto que nos permite arriscar mais, assim nos atrevemos a comprar mais um par de sapatos, mais um PC, mais uma TV, mesmo sabendo lá no fundo que não precisamos, e que ao invés disso poderíamos dar um passo maior em direção a realização de nossas metas.

Aprendendo a viver modestamente

Fazendo uma releitura do que foi escrito e refletindo a respeito podemos acordar para realidade, “Não adianta chorar o leite derramado”, temos que aprender com os erros do passado para não revivê-los de ciclos em ciclos, não quero exagerar e pregar uma vida modesta, franciscana, mas sim uma vida com qualidade, mas sem desperdícios frívolos, ou seja, há muito, mas muito espaço para cortes, o que precisamos é foco para grandes aquisições, que trarão lucro ao invés de prejuízo.

O poder da poupança

Não subestime o poder da poupança, grandes fortunas começaram com pequenos valores, deixe a mágica dos juros compostos trabalhar para você, e não contra, como ocorre nos endividamentos do cartão de crédito.

Para finalizar, aprender a viver modestamente não significa ser miserável ou digno de pena, mas sim resistir às tentações dos gastos desnecessários e fazer um exercício diário para identificar as reais necessidades e na dúvida não tenha vergonha de perguntar, mas não vale perguntar a um parceiro de gastos.

E feliz aniversário!

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu