30 dias para entrar em forma nas finanças (29 na verdade)…

O mês de janeiro passou voando para mim, e praticamente não fiz coisa alguma além de trabalhar. Para remediar a situação, vou dedicar especial atenção as finanças em fevereiro já que eu e meu marido decidimos dar um passo largo e comprar uma casa.

Como já discuti em artigos anteriores, o dilema do aluguel versus casa própria é bastante complexo. E as duas situações podem servir a mesma criatura em momentos diferentes da vida. Nos últimos 5 anos já aluguei 2 vezes e comprei por uma. No momento estamos considerando seriamente uma aquisição. Mas esse será o assunto para outro artigo.

Voltando ao propósito desse artigo, o desafio será tomar uma atitude por dia para melhorar a minha situação financeira. Mais ou menos como um dieta.

Tarefa número 1 : Fazer um inventário da situação financeira

Alguns de nós ainda estão se recuperando do estrago dos presentes de Natal, outros ainda estão em férias de verão. Então vamos começar pelo básico. Saber exatamente onde seu dinheiro está é o primeiro paço para avaliar o seu estado financeiro e estabelecer algumas metas.

Isso até pode parecer óbvio, mas você provavelmente já chegou ao fim do mês se perguntando onde o dinheiro foi parar. O inventário deve incluir todos os seus ativos líquidos ou não (aquilo que você possui e que tem valor de troca: carro, aplicações financeiras, jóias), bem como suas dívidas (cartão de crédito, financiamento do carro, etc) e também seus instrumentos de proteção como seguros de vida e planos de previdência que você ou sua empresa patrocinem. Lembra a caderneta de poupança que o seu pai fez para você quando criança? Vale procurar por ela também.

Algumas dicas para ajudar no processo de inventário:

  • Entenda os benefícios que o seu empregador lhe concede.
  • No mesmo contexto, entenda o seu plano de previdência ou fundo de pensão, busque o último extrato, verifique quais as possibilidades de uso do recurso.
  • Dê uma olhada has bolsas, especialmente as femininas, desde que passamos a acumular as moedas num cofrinho daqueles tipo porquinho de porcelana sempre nos surpreendemos com quanto dinheiro guardamos em moedas.
  • Não esqueça do seu dinheiro negativo também. Dívidas podem ser assustadoras, mas saber quanto você deve é igualmente importante a saber quanto você já possui. Se possível, compense ativos e passivos e comece do zero.

Pergunte a si mesmo, onde está o meu dinheiro? Coloque tudo no papel ou no excel ou em qualquer outro meio que sirva para você.

Eu uso uma planilha que simula um balanço patrimonial no final de cada mês.

Volte amanhã para ver o meu resultado e a próxima tarefa.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Fechar Menu