Tarefa número 18: Dê uma mesada a você mesmo

Dê a você mesmo uma mesada.

Lembra quando era criança e ganhava aquela mesada que dava para tudo? Na verdade, não era o fato do valor da mesada ser generoso ou não, mas quando criança, a conta era meio de trás para frente. Você decidia o que fazer a partir do quanto recebia. Se queria comprar algo maior, precisava economizar. Não tinha cartão de crédito.

A idéia aqui é fazer algo parecido com o seu excesso de caixa. Depois de criar um orçamento e avaliar os seus gastos fixos (que devem incluir o fundo de emergência) separe uma mesada para gastar como quiser, sem planejamento. A mesada é para ajudar a controlar os impulsos de consumo.

Sei que existem muitas pessoas como o meu marido que não compram por impulso e não precisam dessa artimanha que estou sugerindo. Mas para os meros mortais que como eu volta e meia aparecem com uma bolsa nova em casa, essa política de mesada pode facilitar manter a disciplina.

Mas não dá para flexibilizar a mesada. Se você não tem certeza de qual seria o valor ideal, peça conselho a quem te conhece bem. Se você tiver dificuldade de controlar a mesada dentro dos seus limites de cartão de crédito, use dinheiro.

Fazem 3 semanas que coloquei meus cartões de crédito na gaveta, e estabeleci um valor em dinheiro para cada semana. Nada a ver com a tarefa da mesada, mas depois de 2 idas a NYC no mesmo mês, até eu tenho que admitir que exagerei nas compras. Para a minha surpresa, não está sendo tão difícil ficar sem os cartões. Vamos ver se consigo manter esse padrão até o final do ano.

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu