Archive for the ‘Frugalidade’ category

2013.07 – O desapego

fevereiro 16th, 2013

Durante as minhas andanças pela internet encontrei um texto da Martha Medeiros que traz um conceito muito interessante de riqueza que reproduzo abaixo:

Vende-se Tudo
Por Martha Medeiros

No mural do colégio da minha filha encontrei um cartaz escrito por uma mãe, avisando que estava vendendo tudo o que ela tinha em casa, pois a família voltaria a morar nos Estados Unidos. O cartaz dava o endereço do bazar e o horário de atendimento. Uma outra mãe, ao meu lado, comentou:

– Que coisa triste ter que vender tudo que se tem.
– Não é não, respondi, já passei por isso e é uma lição de vida.

Morei uma época no Chile e, na hora de voltar ao Brasil, trouxe comigo apenas umas poucas gravuras, uns livros e uns tapetes. O resto vendi tudo, e por tudo entenda-se: fogão, camas, louça, liquidificador, sala de jantar, aparelho de som, tudo o que compõe uma casa.

Como eu não conhecia muita gente na cidade, meu marido anunciou o bazar no seu local de trabalho e esperamos sentados que alguém aparecesse. Sentados no chão. O sofá foi o primeiro que se foi. Às vezes o interfone tocava às 11 da noite e era alguém que tinha ouvido comentar que ali estava se vendendo uma estante. Eu convidava pra subir e em dez minutos negociávamos um belo desconto. Além disso, eu sempre dava um abridor de vinho ou um saleiro de brinde, e lá se iam meus móveis e minhas bugigangas.

Um troço maluco: estranhos entravam na minha casa e desfalcavam o meu lar, que a cada dia ficava mais nu. No penúltimo dia, ficamos só com o colchão no chão, a geladeira e a tevê. No último, só com o colchão, que o zelador comprou e, compreensivo, topou esperar a gente ir embora antes de buscar. Ganhou de brinde os travesseiros.

Guardo esses últimos dias no Chile como o momento da minha vida em que aprendi a irrelevância de quase tudo o que é material. Nunca mais me apeguei a nada que não tivesse valor afetivo. Deixei de lado o zelo excessivo por coisas que foram feitas apenas para se usar, e não para se amar. Hoje me desfaço com facilidade de objetos, enquanto que torna-se cada vez mais difícil me afastar de pessoas que são ou foram importantes, não importa o tempo que estiveram presentes na minha vida…

Desejo para essa mulher que está vendendo suas coisas para voltar aos Estados Unidos a mesma emoção que tive na minha última noite no Chile. Dormimos no mesmo colchão, eu, meu marido e minha filha, que na época tinha 2 anos de idade. As roupas já estavam guardadas nas malas. Fazia muito frio. Ao acordarmos, uma vizinha simpática nos ofereceu o café da manhã, já que não tínhamos nem uma xícara em casa.
Fomos embora carregando apenas o que havíamos vivido, levando as emoções todas: nenhuma recordação foi vendida ou entregue como brinde. Não pagamos excesso de bagagem e chegamos aqui com outro tipo de leveza….só possuímos na vida o que dela pudermos levar ao partir, é melhor refletir e começar a trabalhar o DESAPEGO JÁ!

Não são as coisas que possuímos ou compramos que representam riqueza ou plenitude. São as dádivas especiais que não tem preço, como família, amigos e saúde.

Tarefa 20: Pesquise preços

julho 6th, 2012

Procure sempre o melhor negócio.

Não há nada errado em ser vigilante e frugal. Se prestar atenção as oportunidades e usá-las a seu favor, você fará um bom negócio no que quer que estejas procurando.

  • Assine  os programas de compra coletiva tipo Peixe Urbano ou Groupon.
  • Desde que sejam gratuitos, afilie-se a programas de milhagem pelos cartões de crédito, ou diretamente com as companhias.
  • Nas lojas que você frequenta, assine o mailing list para ficar sabendo das promoções em primeira mão. Minha marca favorita de calçados está em liquidação de inverno, até 50% de desconto.
  • Pesquise preços e negocie descontos. Pechinche.

Isso pode soar um pouco contraprodutivo e consumista para quem está tentando controlar os hábitos de consumo. O ponto é que não estou fazendo uma apologia às compras mas sim listando algumas alternativas para encontrar preços melhores. Ainda assim, é bom lembrar o mantra de consumo:

  1. Comprar somente coisas que eu realmente quero e preciso;
  2. Comprar coisas que eu uso;
  3. Comprar coisas de qualidade;
  4. Comprar coisas com desconto;
  5. Comprar coisas que eu posso pagar!

Se você não tomar cuidado, as tentações podem ser avassaladores e te levar na direção errada.

 

Tarefa 19: Faça uma lista de atividades gratuitas que você gosta de fazer

julho 3rd, 2012

A tarefa de hoje: Faça uma lista de atividades gratuitas que você aprecia.

Reduzir os gastos pode ser difícil para algumas pessoas, já deu para ter uma idéia na tarefa 15 de passar o dia sem gastar nada. O cafézinho, o almoço, a revista da semana, os gastos vão se acumulando sorrateiramente. Não custa nada ter uma alternativa gratuita para passar o tempo e fugir das compras como por exemplo: namorar, ler um livro (da biblioteca, é claro), visitar a família, tomar um solzinho no Parcão. Outra coisa é prestar atenção nos eventos que acontecem pela cidade, no fim do ano, eu e meu marido assistimos um concerto bem legal no Parque Moinhos de Vento. Aliás nesse mesmo dia, havia um show de Tango na praça de alimentação do shopping aqui perto.

Ontem, por exemplo, estreou uma exposição de fotografia Cenas Vertiginosas, do fotógrafo Roberto Schmitt-Prym na Galeria Arte & Fato.

Com um pouco de boa vontade sempre há o que fazer sem necessária estourar o orçamento.

 

Tarefa número 17: Planeje o cardápio e as compras para a semana

junho 20th, 2012

Faça compras no supermercado para uma semana.

A tarefa de hoje deve me ajudar a ser mais frugal e também mais saudável. Um bom começo é compilar várias receitas com produtos em comum. Tipo um tema a semana. Nessa semana aqui em casa, o tema é chilli! Já tivemos o próprio chilli no domingo, chilli sub na segunda e hoje fiz batatas fritas (assadas na verdade) com chilli e queijo minas. Ainda tenho mais uma opção para a semana que é a torta de chilli com purê de batata doce. Anyway, você pode escolher um ingrediente (preferencialmente da época) e pesquisar receitas em sites como Epicurious ou Cookstr. Do Brasil uso também o cybercook.

Comer em casa e preparar a própria comida, tem várias vantagens para mim, além de ser obviamente mais barato do que sair para jantar. A mais importante é que eu adoro cozinhar mesmo e o tempo em que me envolvo com a comida serve para aliviar a carga do dia. Mas mesmo que você não goste muito de cozinhar ou não tenha muito habilidade há ainda várias opções para fazer uma boa refeição em casa. Uma salada por exemplo, precisa de muito pouco preparo.

Se você sempre come fora, comece aos poucos. 2 ou 3 dias por semana apenas.

Depois de ter selecionado as receitas, faça uma lista dos ingredientes que vai precisar para a semana. Outra coisa que adoro fazer aos sábados é ir a feira. Normalmente decido o tema das refeições da semana dependendo do que está mais bonito na feira ou no Zaffari. Tome cuidado para não perder o controle nas compras e resista às tentações que te esperam em cada corredor. Foque na lista.

Tenho procurado por receitas que sirvam para serem congeladas. Fazer comida só para dois é um desafio, fique mais fácil se a porção extra pode ser congelada e estiver a mão no futuro. O chilli também atende esse quesito.

Boa sorte!

 

Tarifa número 11: Faça um plano para pagar as suas dívidas

março 26th, 2012

O que é pior do que ter nenhum dinheiro? Estar devendo dinheiro, ou seja, ter dinheiro negativo. Esse é o motivo para evitar ao máximo acumular dívidas e fazer o possível para eliminar as existentes o mais rapidamente possível. Dependendo de quanta dívida e de qual o tipo de dívida que você tem, eliminá-las pode levar algum tempo. Mas se a sua papelada estiver em ordem, já estás no caminho certo. Existem diferentes escolas de pensamento no que diz respeito a pagar dívidas recomendando concentrar esforços dependendo do saldo, das taxas de juro e até mesmo da natureza da dívida.

Você pode começar pagando a dívida com a taxa de juros mais alta de forma a minimizar o juro total pago. Ou começar pagando os saldos menores primeiro para criar momentum e confiança e eliminar algumas dívidas. Aqui vão algumas dicas para ajudar a atacar esses saldos.

  • Se você tem um cartão de crédito que nunca consegue zerar, corte-o ou congele-o, literalmente. Escolha uma data para liquidar essa dívida e calcule o valor mensal que precisa ser pago.
  • Para não acumular novas dívidas, se mantiver o cartão de crédito, pague sempre o valor total da fatura.
  • O avô de um amigo meu, que começou a vida carregando fardos, e chegou a terceira idade com tranquilidade financeira de sobra costumava dizer que se deve viver com apenas metade do que se ganha. Se não é possível reduzir os gastos, procure evitar a todo custo o crescimento destes quando tiver um aumento de renda. Use o aumento de renda para atacar as dívidas, investir para o futuro, ou realizar o sonho que tiver.

Revisitando o passado – Parte II – Maneiras eficientes de juntar um dinheirinho

maio 23rd, 2011

Guarde o troco. Tudo bem se no final do dia não conseguiu economizar todas as moedinhas que ganhou de troco, mas tente todos os dias, tu acabarás ficando bom nisso e quando perceber terá um bom dinheiro para trocar nos mercados próximos a sua casa que fazem festa por esse tipo de trocado, só o que não vale é desistir, tenha um cofrinho em casa e adquira esse hábito.

Guarde os extras. Dinheiro não tem hora errada para chegar, se recebeu algum valor inesperado, invista para que ele trabalhe para você, lembre-se foco é a palavra chave, adquira somente o que realmente precisa ou deseja muito.

Faça uma limpeza em casa e organize um bazar com o que não usa mais. Eu sei isso aqui é chato, chamar amigos para se livrar das coisas que não quer mais e ainda cobrar!! Faça a coisa certa, selecione o que não é mais útil para você, mas ainda está em bom estado de conservação e doe aos mais necessitados, não é uma economia direta para você, mas estarás fazendo um bem maior e ajudando outras pessoas a economizar.

Economize no almoço. Tudo bem, trazer comida de casa todo dia é meio chato e não precisamos fazer isso. O que temos que fazer é economizar, se você olhar ao seu redor, mesmo onde você trabalha, há pessoas que gastam R$ 7,00 para almoçar, outras R$ 15,00, há quem gaste R$ 25,00, então para que exagerar gastando R$ 45,00, isso mesmo, quem sabe, o meio termo não é o ideal? Sem falar que muitas vezes um convite entre colegas de trabalho para almoçar pode gerar constrangimento, pois a pessoa não tem coragem de dizer que os locais que você freqüenta, são muito caros para acompanhá-lo.

Fuja dos lançamentos de última geração. Que armadilha! Resista ao impulso de comprar lançamentos, eles chegam às prateleiras com preços altíssimos, espere alguns meses, essa é a dica de economia.

Não pague por garantias extra. A sensação de segurança dura pouco, você gasta muito e provavelmente o seu produto só apresentará defeito depois de expirada a garantia extendida.

Envolva a família na economia. Divida com o marido/esposa, filhos pais, a empolgação e emoção de ver a poupança aumentando, discutam projetos em conjunto para esse dinheiro, com apoio deles, tudo é mais fácil.

 

Investir na sua vida compensa no longo prazo

setembro 12th, 2010

Simplificar a vida me parece uma grande idéia. Quem incentiva esse estilo de vida normalmente faz sugestões do tipo: receba os amigos para uma refeição compartilhada em casa ao invés de sair para um restaurante; faça um bazar com as amigas e troque peças do guarda-roupa; personalize os presentes de natal escolhendo coisas que você mesmo pode fazer. Todas essas sugestões tem uma coisa em comum que me parece ainda mais importante do que o benefício financeiro: criar oportunidades para passar tempo com as pessoas que gostamos.

De certa forma, ao tentar simplificar a vida você pode criar experiências mais significativas. Em outras palavras, tornar-se mais vivo. O que, em última análise, é o que ficar rico significa, não é? Não apenas acumular riqueza, mas viver uma vida mais rica.

Gastar agora para economizar depois

Existem algumas despesas que contribuem para a economia no futuro. Algumas também aumentam o seu tempo livre ou a sua qualidade de vida. Pode ser tentador tomar atalhos nessa categoria, mas considere essas despesas como um investimento na sua vida.

  • Sua saúde. Medicina preventiva evita custos com tratamento médico todos os anos. Além de fazer um check up anual você deve lembrar de visitar o dentista regularmente. Cuidar da saúde também significa equilibrar a alimentação e se exercitar regularmente. Tudo isso pode ser feito com relativamente pouco dinheiro: visite a feira livre mais próxima, procure prestar atenção ao que põe no prato nos restaurantes, caminhe para o escritório, movimente-se. No longo prazo, você vai economizar recursos ao manter-se saudável.
  • Sua casa. Você não precisa viver numa mansão. Um lar menor e mais barato normalmente causa menos dor de cabeça nas finanças e menos trabalho para manter. Qualquer que seja o teto que você escolher, você precisará mantê-lo. A menos é claro que você opte pelo aluguel. Assim como no caso da saúde, manutenção preventiva vai ajudar a economizar no futuro. Preste atenção nos sinais de vazamento ou de desgaste para evitar que um problema que possa ser rapidamente resolvido se transforme numa emergência no futuro.
  •  Seu casamento.  Divórcio não é só doloroso, é caro também. Um divórcio normalmente reduz significativamente o patrimônio dos envolvidos (mas certamente aumenta o dos advogados!). Dedicar recursos para manter um relacionamento forte entre você e seu parceiro é um grande investimento em termos emocionais e  também financeiros. Inclua no seu orçamento recursos para passar tempo juntos, presentes, cultivar hobbies. Se tem filhos, uma babá de vez em quando vai ajudar.
  • Sua carreira. Tipicamente, sua carreira é a sua principal fonte de renda. Mas também cria despesas. Essas despesas podem incluir desde ter o guarda-roupa certo para o seu ambiente profissional até fazer cursos de especialização e idiomas. É preciso determinar quais despesas vão efetivamente contribuir para o futuro. O smartphone novo é uma despesa essencial ou apenas um brinquedo novo? É fácil passar da conta nas despesas relacionadas com a carreira, especialmente para os empreendedores, o trabalho normalmente é uma área onde se espera que o investimento inicial traga benefícios significativos no futuro. Se uma especialização te ajudará a obter um emprego melhor remunerado, ou mesmo, mudar de carreira, é provável que o investimento valha a pena. 
  • Sua Felicidade. Você não pode viver totalmente focado no futuro. Enquanto você está acumulando para o longo prazo, não esqueça de dedicar energia e recursos para ser feliz hoje. Isso não significa ceder a todos os impulsos de consumo que nos assaltam diariamente. Gastar dinheiro não é o que traz felicidade. A felicidade está nas experiências que acumulas. Inclua no seu orçamento aquela viagem de férias, a troca do carro e não esqueça que passar tempo com as pessoas que se ama não precisa necessariamente sair caro.

Investir nessas áreas importantes recompensa em melhor qualidade de vida e evita custos com emergências. Uma vida mais feliz e mais saudável é também uma vida mais barata.