Archive for janeiro \02\UTC 2011

Recompensa da paciência e persistência

janeiro 2nd, 2011

Que você tenha um ano próspero! Embora eu nunca tenha sido pobre propriamente, muito longe disso, alguns dos meus hábitos certamente causariam espanto. Até bem pouco tempo, meu senso de equilíbrio em finanças pessoais dificilmente concordaria com o conteúdo da minha conta bancária. No momento, eu sinto uma onda de prosperidade que é conseqüência de mudanças intencionais da minha parte principalmente causadas pela influência do meu marido nos últimos anos.

Há alguns anos atrás, quando eu e meu marido começamos a morar juntos, nossa situação financeira era no mínimo preocupante. Não tinhamos qualquer reserva financeira e algo em torno de R$70 mil em dívidas distribuídas entre crédito pessoal, financiamento do carro e empréstimo de parentes. Em apenas 5 anos, fizemos um progresso impressionante e me parece que as nossas realizações merecem comemoração e reconhecimento:

  • Fechamos 2010 com nenhuma dívida. Nenhum real de dívida mesmo. Nossos 2 últimos carros foram pagos a vista.
  • Temos uma reserva financeira que nos permitira pelo menos 1 ano de sabático se essa fosse a nossa vontade.

Todo início de ano me parece apropriado refletir sobre os meus hábitos e me comprometer em fazer melhor no ano que se inicia.  Do ponto de vista das finanças, nos próximos dias vou estar repensando as minhas metas e planejando o ano de 2011, mas já posso antecipar algumas dicas úteis:

  1. Conhecimento é poder. Procure entender o seu padrão de renda. Se você depende de uma renda fixa e garantida como eu é mais fácil, mas se és um profissional autônomo faça um levantamento dos seus ganhos nos últimos 24 meses e procure entender quais os fatores que contribuem para o aumento da sua renda.
  2. Rastreie o seu dinheiro.  Um registro dos seus gastos permite que você compreenda para onde o seu dinheiro está indo é que ações terão maior impacto para ajudá-lo a atingir suas metas. Se você ainda não tem, crie um sistema de controle das despesas. Vale qualquer coisa, até escrever na agenda o que você gasta no dia.
  3. Reflita. Com as informações sobre a origem e o destino da sua renda, pense sobre os hábitos. O que você pode mudar que teria impacto no seu resultado financeiro. No meu caso, preciso deixar os cartões de crédito em casa. Nunca preciso de mais roupas ou mais livros ou mais qualquer coisa, mas quase sempre chego em casa com mais um pacote.
  4. Use o crédito de forma consciente. Cuidado com as compras parceladas. E não se iluda com as promessas mentirosas daqueles que tentam sempre nos convencer de que não há juros embutidos nas vendas parceladas.
  5. Estabeleça metas e persiga-as com afinco.  Seja o que for – a viagem dos seus sonhos, o carro novo ou o curso no exterior – por mais impossível que pareça,  estão ao seu alcance se montar um plano factível e manter a disciplina.
  6. Crie uma reserva de emergência. Não adie mais, se você ainda não tem, comece uma reserva de emergência imediatamente. Inclua no seu orçamento uma parcela para o fundo de emergência não importa quão pequena ou insuficiente. Qualquer poupança é melhor que poupança nenhuma.
  7. Estabeleça uma estratégia de investimentos. Considere o prazo em que pretende realizar as suas metas e considere qual o risco que pode suportar. Se não entende as opções de investimento, procure um especialista. Não invista no que não compreende.
  8. Aproveite a vida hoje. Assim como não sobrevivemos a uma dieta restritiva por muito tempo, nenhum plano de investimentos será bem sucedido se não considerar dentro do orçamento recursos para garantir que você aproveite a vida hoje. Bem estar é um dos componentes da riqueza na minha opinião. Não me parece muito promissor privar-se de tudo hoje em função de um benefício longínquo quando não há garantia de quanto você vai viver. Por isso o lema do nosso blog: Fique Rico Diariamente não daqui há 15 anos.