Archive for julho \21\UTC 2010

Planejando uma viagem fantástica

julho 21st, 2010

Se existe algo que eu sempre quis e que realmente importa para mim seria viajar.. Meu projeto de vida sempre revolveu em volta da idéia de conhecer o mundo.

Até pouco tempo atrás, esse projeto era basicamente um sonho distante. Quero dizer que eu me limitava a aproveitar as oportunidades de viajar que o meu trabalho me trazia. Fiz um intercambio profissional há cerca de 8 anos quando morei por 18 meses em Los Angeles, California. Retornei ao Brasil em 2004, com vários amigos espalhados pelo mundo que eu pretendia visitar e muita vontade de voltar a LA assim que possível.

Seis anos depois, estou realizando uma parte do meu projeto. Em Agosto, eu e o meu marido (que fará sua primeira viagem aos Estados Unidos) passaremos 12 dias em Los Angeles.

Agora que estamos há pouco mais de 20 dias da viagem eu fico me perguntando porque não fiz isso antes. Ou o que eu preciso fazer para que não se passem outros 5 anos até a próxima viagem.

Em primeiro lugar, basta decidir onde você gostaria de ir.. Sabendo o destino, dá para se informar sobre custo e aí é uma questão de incluir nas suas metas de poupança e agendar no calendário. Segue algumas dicas que me ajudaram no planejamento da viagem e podem ser úteis para você:

  1. Eduque-se. Escolha um guia de viagem ou dois, ou três.  A maioria deles tem um website disponível com muitas informações úteis.  No caso da viagem par Los Angeles, mesmo já tendo morado na cidade por 18 meses entre 2002 e 2004, adquiri 2 guias de viagem. Alguns guias que eu já utilizei no passado e valem a pena dar uma olhada: Lonely Planet,  Publifolha, Frommers e Rough Guide.
  2. Estime o custo da viagem. O custo deve incluir não apenas as passagens e a hospedagem, mas também uma estimativa do quanto será necessário para alimentação, passeios, compras, etc..
  3. Planeje o uso do seu tempo de forma eficiente. Não esqueça de reservar algum tempo livre para os imprevistos e atrasos e também para simplesmente descansar. Se você sobrecarregar a viagem de atividades, vai precisar de férias para se recuperar das viagem.
  4. Mantenha todas as informações que pode precisar ao seu alcance. E-tickets, reservas de hotel e carros, endereços úteis, telefones de contato. Eu costumo montar uma espécie de diário para cada viagem. Onde vou acumulando endereços e informações relevantes sobre as atividades que pretendo realizar durante a viagem.
  5. Consulte um agente de viagem. Um bom agente de viagem pode fazer a diferença no seu planejamento, desde de encontrar os melhores negócios até indicar atividades e a melhor localização para se hospedar.
  6. Use a internet. Diversos websites permitem estimar custos de passagem, hotel e aluguel de carro rapidamente. Alguns exemplos: travelocity, cheap tickets, submarino viagens, etc.

Escolha o destino das suas próximas férias e comece a planejar e economizar – é claro – imediatamente!

Como andam as minhas metas – Segunda revisão

julho 12th, 2010

Como já dividi aqui, no início do ano eu estabeleci 3 metas para perseguir em 2010. Agora que encerramos o segundo trimestre do ano, segue a atualização:

  • Meta número 1: Perder peso.  A meta para o ano é perder pelo menos 6kgs.

Resultados: No acumulado do ano, já perdi  3,4Kgs. Em relação a março quando fiz a primeira avaliação de como as metas estavam indo, perdi 1,4Kgs o que mostra uma clara desaceleração no progresso.

Ações implementadas: Entrei para uma academia com uma colega de trabalho o que se mostrou um fracasso. Desisti em apenas um mês. Tenho incluído treinos de caminhada de 2 a 3 vezes por semana e estou começando a evoluir da caminhada para a corrida.

Dificuldades enfrentadas: O mais difícil é manter o plano, especialmente a dieta. A academia próxima ao escritório foi realmente um desastre, mas tenho ido para esteira durante as viagens seja no próprio hotel ou próximo a ele. Quando o tempo permite, tenho acompanhado meu marido em seu treino ao ar livre no final de semana.

Plano para o resto do ano: Continuar com a dieta e ir para a academia.

Ações implementadas: Nesse trimestre diversificamos um pouco nossos investimentos e adquirimos dois apartamentos na planta para investimentos.

Resultados: Durante o semestre, investimos 33% da nossa renda líquida no período.

Dificuldades enfrentadas: Nos últimos 2 meses tive uma recaída consumista. Nosso volume de investimentos, apesar das aquisições dos apartamentos caiu em relação ao trimestre anterior. É realmente preciso ter força de vontade e paciência para sacrificar o consumo imediato.

Plano para o resto do ano: Manter os débitos automáticos e aumentar o volume de investimentos proporcionalmente ao aumento da renda.

Ações implementadas: Desenvolvi uma nova tabela dentro da planilha de controle financeiro que já utilizava.

Resultados: Nenhum. De novo!

Dificuldades enfrentadas: Desenvolver a ferramenta é o primeiro passo para implementar um orçamento doméstico. O orçamento só traz benefícios se ele serve como indicador para a tomada de decisões de consumo e o meu está bem longe de ser útil.

Plano para o resto do ano: Validar os dados incluídos na planilha de orçamento e incluir na rotina mensal a comparação do realizado versus orçado.

Paciência e Finanças Pessoais

julho 7th, 2010

Eu  costumo me descrever como uma pessoa impaciente, como se isso fosse algo para se orgulhar. Olhando em perspectiva, chega a ser engraçado. Impaciência é o caminho mais rápido para o desastre financeiro.

Me parece que há uma certa conspiração no mundo moderno aconselhando as pessoas a serem impacientes, famintas por novidades, mas onde está a vida sem paciência? De que adianta ter todo o dinheiro do mundo e não ter com quem compartilhar?

É bem comum ouvirmos que finanças pessoais é simples. Gaste menos do que ganha. O difícil é a implementação, e o que normalmente causa o fracasso são fatores psicológicos.

A maioria das pessoas não quer ficar rico diariamente, quer ganhar na loteria ou escolher a ação certa na bolsa. Todos buscamos o atalho. Não conseguimos ver diferença em economizar apenas R$50 por mês. Então não economizamos centavo algum. Ficar rico diariamente requer uma grande quantidade de paciência.

Saindo do endividamento

Quando se toma a decisão de não adquirir dívidas novas, é como estar no pé de uma montanha e começar uma escalada. Você vê o topo, mas parece muito distante.

Eu me lembro dos antigos financiamentos imobiliários que acabavam acompanhando as pessoas até a cova. Quando o fim do endividamento parece impossível, a maioria das pessoas desiste e continua financiando suas extravagâncias com crédito e mais crédito.  Na maioria das vezes, vão só empurrando o problema com a barriga pagando o mínimo nos cartões de crédito ou buscando dinheiro em financeiras a juros altíssimos.

É realmente difícil manter-se fiel ao plano de eliminação de dívidas. Normalmente envolve mudar hábitos de consumo já enraizados em sua personalidade. Todo pequeno deslize, como gastar além da conta com a liquidação ou exagerar na conta do bar, é desmotivador. É como se estivesse em crise de abstinência de consumo e demora bastante para ver um resultado significativo.

Para uma pessoa impaciente como eu, eliminar as dívidas foi uma tortura.

Decisões de consumo

Impaciência nas decisões de consumo é um outro exemplo. Talvez você compre algo com crédito porque não tem paciência de esperar o tempo necessário para economizar e comprar a vista. Ou talvez só esteja acostumado a ajustar o seu fluxo de caixa considerando o limite do cartão de crédito e os parcelamentos “sem juros” dos lojistas. Você provavelmente faria um negócio melhor usando uma das seguintes alternativas:

  • Pesquisando preços na concorrência ou na internet;
  • Esperando a liquidação
  • Fazendo você mesmo ou procurando items usados

Eu tenho consciência que a impaciência foi um dos motivos que me levou a acumular o endividamento que me custou tanto para eliminar.

Investimentos

Outra coisa que exige uma boa dose de paciência e, às vezes, sangue frio.  Não é a toa que o Warren Buffet é melhor investidor que a maioria.  O cara começou aos 11 anos e quando escolhe uma ação na maioria das vezes toma uma decisão de investimento de longo prazo.

O blog The Motley Fool escreveu um artigo bem interessante sobre a disciplina de Warren Buffet.

Temos uma parcela pequena de nossos investimentos num fundo de ações que tem oscilado bastante acompanhando a flutuação do Ibovespa. Como não tenho tempo para estudar e escolher ações, optei por um fundo que se espelha na composição do Ibovespa. É o que se chama investimento passivo.  O Ibovespa cai, meu investimento afunda.

As vezes fico realmente na dúvida se devo ou não continuar aplicando quantias adicionais nesse fundo de ações. A solução que eu encontrei para driblar a minha impaciência com os investimentos foi automatizar as aplicações. Assim é como se eu nem tivesse essa renda para gastar. Também procuro limitar a atualização da minha planilha de controle a uma vez  por semana para não me desestimular com as eventuais quedas.

Infelizmente, não consigo evitar dar uma olhadinha na performance da Bovespa no display do elevador do prédio onde meu escritório está localizado.  De novo a impaciência tirando o melhor de mim.