Archive for maio \16\UTC 2010

Feliz Aniversário

maio 16th, 2010

Foi exatamente há um ano, no dia 16 de maio de 2009, que a idéia amadureceu e nasceu o blog fiquericodiariamente.com.br. A estréia se deu com a primeira publicação intitulada “Papo Motivacional: Pague a si Mesmo Primeiro”.

De lá para cá várias mudanças ocorreram, o blog virou site, o layout mudou e tudo para dar uma melhor apresentação aos seguidores e acompanhantes das publicações do fiquericodiariamente.

Parabéns Tatiana, por essa iniciativa, o seu trabalho está a cada dia que passa melhor, já se somam mais de 82 publicações, mais de 7500 visitantes e 24000 acessos de diversos estados e dos mais variados países. O Trabalho não é fácil, escrever honestamente, sem plágios, cópias, idéias originais e que agradem ao publico em geral, traduzindo um pouco do mundo complicado da economia e finanças que você vive diariamente.

O site é despretensioso, não tem a intenção de pregar milagres de enriquecimento fácil e fórmulas mirabolantes de ganhar dinheiro, tem sim a finalidade de sugerir e motivar os leitores a prática da economia com dicas de investimentos e revelar os cenários do mundo globalizado em que vivemos.

Desejo todo o sucesso do mundo e que o ano de 2010 seja um ano de crescimento e consolidação do site, com mais e mais acessos diários. Parabéns

5 coisas para fazer antes de dizer “sim” no altar

maio 12th, 2010

Como maio é conhecido como o mês das noivas, decidi falar um pouco sobre o que eu considero como preparação importante para todo casal que pretende embarcar nessa experiência.

Existem várias formas de administrar as finanças de um casal. Alguns preferem manter as finanças completamente separadas, outros decidem por unificar as finanças usando contas correntes conjuntas e ainda há aqueles que optam por um meio termo entre os dois.

No meu caso, eu e meu marido optamos por misturar completamente o nosso dinheiro. Ambos os nossos nomes aparecem em todas as contas bancárias e cartões de crédito. Compartilhamos cada centavo e consequentemente todas as decisões de consumo e investimento impactam os dois.

Não importa qual a sua escolha, seja ela manter a independência ou compartilhar tudo, você vai ter que conviver com as decisões de consumo do seu parceiro – para o bem e para o mal. Se você tem filhos, eles herdarão os frutos da sua vida financeira compartilhada.  Embora eu não acredite que o dinheiro sozinho pode destruir um casamento, me parece que certamente ele pode ser um obstáculo.  O certo é que não dá para fingir que dinheiro não tem nada a ver com o relacionamento e ignorar o assunto.

Culturalmente somos ensinados a ignorar a questão financeira ao escolher um parceiro. Os contos de fada estão cheios de exemplos de casos onde o amor prevalece sobre as diferenças de renda. Nossa sociedade também dá um contexto negativo as pessoas que valorizam o aspecto financeiro chegando ao extremo de rotular como golpista.

No final das contas, o que não se pode fazer é ignorar o assunto. A menos que o casal se expresse de forma diferente, a partir do dia do casamento, toda a vida financeira está de qualquer forma combinada já que o regime utilizado normamelmente é a comunhão parcial de bens.

Para estabelecer uma boa fundação para a sua vida financeira futura, aqui estão 5 aspectos que considero essenciais avaliar antes do casamento:

  1. Conheça a si. Antes de compartilhar os detalhes da sua vida financeira, tenha certeza de que os conheçe realmente. Se tem dívidas, procure saber qual o total delas e qual a taxa de juros que estás pagando. Saiba quais são os seus ativos e quanto eles valem no mercado. Sua cara metade deve amá-lo pela pessoa que és independente do seu patrimônio líquido, mas eventualmente todas essas informações serão importantes para as decisões conjuntas como comprar uma casa ou ter filhos.
  2. Conheça o seu parceiro. Num dia ensolarado quando ambos estiverem de bom humor, compartilhem as suas informações. Tente manter a mente aberta e não fazer julgamentos. Não há necessidade de sentir-se culpado por excessos do passado, a intenção aqui é preparar-se para o futuro. Você pode ajudar o seu parceiro a sair do endividamento ou o contrário. A minha vida financeira mudou para muito melhor com o casamento.
  3. Conheça os seus hábitos. Se você não costuma manter registro dos seus gastos, tente fazê-lo por um período de tempo. Esse tipo de informação pode ser muito útil para planejarem o futuro. Também é uma boa forma de se conhecer.
  4. Saiba o que quer. Como diz o ditado: “nenhum vento ajuda quem não sabe para onde vai”. O sucesso em qualquer coisa é relativo, você é bem sucedido em relação a um parâmetro, a uma meta. Em finanças pessoais não é diferente. O que você quer? Parar de trabalhar aos 40? Acumular R$1 milhão antes dos 30?
  5. E saiba como chegar lá. Se vocês já tem uma ou mais metas, é preciso estabelecer quais as ações que precisam ser tomadas para atingí-las. Toda decisão de consumo e de investimento deve ser um passo na direção das suas metas.

Eu não pensei nessas 5 dicas de forma objetiva antes de me casar, mas acabamos por cobrir todas essas questões eventualmente.  E me parece que estamos no caminho certo.

Boa sorte aos noivos!

Devagar e sempre

maio 5th, 2010

Uma das razões que sempre me trouxe problemas financeiros e talvez explique porque ainda estou correndo atrás da independência financeira é que eu queria experimentar de tudo agora mesmo.  Eu olhava a vida confortável dos meus pais e não me ocorria que eles tinham trabalhado muito tempo para atingir aquele patamar. Ou então me espelhava em amigos muito queridos mas que tem origens muito diferentes das minhas. Eu queria o mesmo nível de conforto e independência, e queria tudo agora.

Para sustentar esse estilo de vida eu trabalhava muito e gastava toda a minha renda.  Levei bastante tempo e precisei da influência do meu marido, para entender que nessa jornada rumo a independência financeira e ao estilo de vida que eu desejo, paciência e perseverança eram fundamentais para o sucesso.

Sobre paciência e perseverança

Existem aquelas pessoas que enriquecem da noite para o dia. As pessoas realmente ganham na loteria, são jogadores de futebol com um contrato milionário ou são descobertas na rua pela indústria da moda. Essas coisas realmente acontecem, mas convenhamos, essas pessoas de sorte representam uma minoria insignificante no total da população.

Para a maioria dos mortais, a independência financeira é consequência de trabalho árduo por algumas dezenas de anos, frugalidade e investimentos inteligentes.  A maioria das pessoas, como regra geral, passa a maior parte da vida acumulando recursos para o futuro. Isso não é uma apologia aos sovinas, o que eu pretendo dizer, é que precisamos buscar sempre o equilíbrio.  Paciência e perseverança nas decisões de consumo e de investimento.

Ficar rico diariamente não significa abrir mão de tudo. Simplesmente é preciso reconhecer que não dá para ter tudo agora!

Pequenos passos que te levam longe

O mais difícil em quase tudo na vida é começar, dar o primeiro passo. Em finanças pessoais não é diferente.  Um dos fatores que dificultam a disciplina em finanças pessoais é que a maioria das pessoas só passa a realmente se preocupar com isso depois que já acumulou dívidas. E não é da noite para o dia que se sai de endividado para independente financeiramente.

Também não é exatamente motivante imaginar que será necessário trabalhar por mais 20 ou 30 anos para poder atingir a tal situação de independência financeira.

Minha solução para esse problema é ter metas intermediárias. Parte dos meus investimentos são realmente destinados a aposentadoria daqui a 25 anos, outra parte é para trocar de carro e fazer aquela viagem de férias de tempos em tempos. Atingir metas intermediárias me ajuda a eliminar o desânimo e a manter a disciplina nos investimentos.

Outro fator importante é que com o tempo, o investimento acumulado passa a te ajudar a atingir metas gerando rendimentos maiores. É o milagre dos juros compostos.